O que é a Criptorquidia?

O que é a Criptorquidia?

A Criptorquidia é a não localização do testículo na bolsa testicular, decorrente da sua não descida ou da sua não permanência no seu interior.

Fatores genéticos, maternos e ambientais podem causar essa situação.


Importância

O criptorquidismo não deve ser deixado sem tratamento, uma vez que existe um risco aumentado de desenvolver câncer testicular e infertilidade / subfertilidade.


Descida Testicular

O testículo se forma na região abdominal e sofre descida ao escroto durante o período embrionário.

Fatores hormonais, pressão abdominal fazem com o testículo migre para posição normal, no escroto, durante a fase intra uterina.


Com qual frequência ocorre a criptorquidia?

A criptorquidia está presente em cerca de 2 a 5% dos meninos nascidos quando a gestação segue um curso normal e em cerca de 30% dos prematuros.

Em torno de 70% desses casos os testículos se posicionarão de maneira correta no primeiro ano de vida de tal maneira que após essa idade, encontra-se apenas cerca de 1% dos meninos com criptorquidia.


Fatores de risco

As possíveis causas incluem:

  • Prematuridade
  • Baixo peso para a idade gestacional
  • Peso menor que 2,5 kg ao nascer
  • Exposição antenatal a pesticidas e ou estrogênos

Diagnóstico e tratamento

  • O diagnóstico é feito pelo exame físico e pode ser necessário exames de imagem.
  • Alguns hormônios podem ser utilizados na tentativa de fazer a descida do testículo, porém os resultados são ruins.
  • A cirurgia tem alta taxa de sucesso e pode ser indicada.
  • Para proteger o potencial de fertilidade, recomenda-se que a cirurgia que é chamada de orquidopexia, seja realizada no primeiro ano de vida.
  • A probabilidade do surgimento de câncer em testículos criptorquídicos é em torno de 40%. Esse risco pode ser reduzido se a orquidopexia é realizada antes da puberdade.

Venha para o Instituto de Urologia de Piracicaba
➽ Consultorio: (19) 3437.2511
➽ Urgência: (19) 3433.4243
➽ WhatsApp: (19) 99660.8136 e (19) 99660.8156

Post original no blog do Dr. Tiago Aguiar

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *